quinta-feira, 17 de agosto de 2017

Bahia: UFRB aciona AGU sobre cancelamento de título ao ex- presidente Lula



A Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) solicitou que a Advocacia Geral da União (AGU) tome as medidas cabíveis para a alterar a decisão da Justiça Federal que suspendeu a concessão de título de Doutor Honoris Causa ao ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva pela instituição. 

Em nota divulgada nesta quinta-feira (17), a universidade disse que “recebeu com surpresa” a determinação do juiz Evandro Reimão dos Reis, da 10ª Vara Federal Cível de Salvador, e defendeu que a medida judicial “fere um dos princípios fundamentais das universidades públicas que é a autonomia universitária”. “Reza a Constituição Federal que ‘Art. 207 – As universidades gozam de autonomia didático-científica, administrativa e de gestão financeira e patrimonial, e obedecerão ao princípio da indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão’. Portanto, a quebra da autonomia universitária gera perigoso precedente, de consequências danosas, para todas as universidades públicas brasileiras”, alerta a instituição. No texto, a UFRB diz que a honraria a Lula é um “antigo desejo de setores da comunidade universitária da UFRB, pela implicação do seu governo com a expansão e a interiorização do ensino público superior”. “Oportunamente, com a agenda pública do ex-presidente comunicando passagem pela Bahia e por Cruz das Almas, cinco membros do CONSUNI propuseram a concessão do título honorífico, conforme artigo 9º da resolução Consuni nº 006/2011, que regulamenta a concessão de títulos desta natureza”, completa a nota.  

A entrega do título em sessão solene do Conselho Universitário está programada para as 11h desta sexta-feira (18). No texto, a UFRB não informa se há possibilidade de cancelamento da programação e diz, apenas, que aguarda o posicionamento do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1).
Compartilhar:

Violência: Confira o que se sabe até agora do atentado em Barcelona; EI assume autoria

Giannis Papanikos/AP
foto:reprodução

Confira a reportagem e site do site UOL notícias sosbre o dia em Barcelona na Espanha quando um veículo Van matou dezenas de pessoas e feriu outras  num dos pontos turísticos mais frequentado da da cidade.
Confira ano link abaixo:


https://noticias.uol.com.br/internacional/ultimas-noticias/2017/08/17/o-que-se-sabe-ate-agora-sobre-o-atentado-em-barcelona.htm

acesso em 17/08/17 às 23:27min.
Compartilhar:

Salvador: Onze anos depois, garoto de Lauro de Freitas reencontra Lula

 
Símbolo da campanha a reeleição no ano de 2006 do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), o jovem Everton Conceição Santos reencontrou nessa quinta-feira (17) o petista.
 
Everton ficou famoso após correr para ver Lula que na época visitava a cidade de Lauro de Freitas. Vencendo toda a multidão, o garoto foi erguido pelo seu vizinho e conseguiu tocar em Lula. A imagem, captada pelo fotógrafo oficial da Presidência, tornou-se o grande símbolo da campanha de reeleição em 2006.
 
De família bem pobre, o garoto revelou na época à Folha de São Paulo que a vida de sua família “melhorou para melhor” durante o governo Lula: sua mãe conseguiu trabalho e, com a ajuda da renda extra do Bolsa Família, conseguiu comprar TV a cores, geladeira e comida.
Compartilhar:

“Ele tá com medo do que posso fazer daqui pra frente”, responde Lula a vereador em Salvador

O ex-presidente Lula (PT) não deixou passar em branco no seu discurso a decisão liminar concedida pelo juiz Evandro Reis, da 10ª Vara Federal Cível, que suspendeu a entrega do título de Doutor Honoris Causa ao ex-presidente Lula (PT) na UFRB, em Cruz das Almas, nesta sexta-feira (18).
O petista, sem citar o nome do vereador Alexandre Aleluia (DEM), autor da ação popular, mas com referências a vereador do DEM, rebateu o caso.
“Eu queria falar para esse vereador que não conheço que ele tem o direito de não gostar de mim porque ele é do DEM e quem é do DEM não precisa gostar de mim porque eu não gosto deles. Não gosto por uma questão pessoal. Não gosto por divergência ideológica. Por concepção de País, de política, de inclusão social”, disse.
“O que ele não sabe é que pra mim receber o título é importante, mas eu já recebi quando foi aprovado na universidade, pois ela é a dona do título. (...) Todo mundo sabe o que eu fiz aqui na Bahia. Ele tá com medo que eu receba o título para o que nós vamos fazer daqui pra frente”, completou. 


fonte: BNEWS/reprodução
Compartilhar:

Bahia: Estado ocupa 3º lugar em número de desempregados no Brasil, diz IBGE

Resultado de imagem para desemprego na bahia 2017
foto:reprodução/google


A Bahia tem cerca de 1,3 milhão desempregadas, segundo informações divulgadas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE), nesta quinta-feira (17). O dado refere-se ao 2º trimestre do ano. No 1º trimestre, o estado ocupava o primeiro lugar em número de pessoas desempregadas no país. Com a nova pesquisa, passou a ocupar a 3ª colocação, atrás de Pernambuco e Alagoas.
 
Na variação entre o primeiro trimestre do ano (janeiro até março) e o segundo trimestre (abril até junho), houve uma redução de 75 mil pessoas desocupadas e 92 mil passaram a trabalhar de maneira formalizada. 
 
Já no Brasil, a taxa de desocupação no 2º trimestre de 2017, foi estimada em 13%. Este indicador apresentou queda de 0,7% em relação ao trimestre anterior (13,7%).
 
A região Nordeste permaneceu apresentando as maiores taxas de desocupação ao longo da série histórica (início em 2012), e no 2º trimestre de 2017 foi de 15,8%. Informações do Bocâo News.
Compartilhar:

Bahia ultrapassa o Rio como melhor destino turístico,diz pesquisa

   Salvador - Crédito foto:Brinquedoteca Art Vida -Cabula -SSa/reprodução


A Bahia foi eleita como melhor como melhor estado de destino turístico do Brasil, de acordo com pesquisa divulgada pela Folha de São Paulo. Segundo a pesquisa, 17% dos entrevistados de todo o país adota o território baiano como principal lugar para se conhecer. O estudo foi feito em dois períodos, de 9 a 14 de junho, e também de 16 a 26 de julho.
 
Ainda de acordo com o levantamento, logo em seguida aparecem o Rio de Janeiro, Santa Catariana, Ceará, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Pernambuco, São Paulo, Rio Grande do Norte, Alagoas, Paraná, Paraína, Goiás, Mato Grosso do Sul, Maranhão e Pará.
 
O resultado foi comemorado pelo secretário de Turismo do Estado, José Alves. “É o estado com 13 zonas turísticas, é um estado do tamanho de um país, como a França, e graças a Deus temos turismo pra todos os tipos de gostos, com terras, praias, aventura. Quando você faz uma pesquisa, no caso a Folha de São Paulo, isso demonstra a força que o Estado tem. 

Do ano passado para cá, conseguimos organizar e melhorar mais de 117 municípios turísticos do estado e saltamos para 150 cadastrados. Para ser município turístico, precisa ter um conselho, uma secretaria de turismo e um orçamento. São requisitos que o ministério do turismo exige”, disse em entrevista ao apresentador José Eduardo, na Rádio Metrópole. Informações do B.News.
Compartilhar:

Cultura: Edufba realiza XIV Festival de Livros e Autores com descontos de 50% e 40%

O XIV Festival de Livros e Autores da UFBA reúne, nesta quinta-feira (17), das 17h às 20h, além dos já publicados, 11 novos títulos da editora da instituição (Edufba).
 O evento ocorre na Reitoria da UFBA, localizada no Canela. O festival conta com a presença dos respectivos autores ou organizadores das novas obras. Todos estarão disponíveis para sessão de autógrafos e bate-papos após os lançamentos.
Com o objetivo de difundir e promover maior acesso às produções científicas de diferentes áreas do conhecimento, a editora vai oferecer descontos de 50% para os seus lançamentos, e de 40% para os livros publicados no primeiro semestre de 2017. 
Confira abaixo os títulos que serão lançados no XIV Festival de Livros e Autores.

"É um Romance Minha Vida": Dona Farailda, uma "Casamenteira" no Sertão Baiano, de Vânia Nara Pereira Vasconcelos:

Preço especial de lançamento: R$ 17,50
A obra biográfica narra a trajetória de Dona Farailda, uma "casamenteira" de Serrolândia, localizada no sertão baiano, mesclando entrevistas, realizadas com ela, com seus familiares e casais que com ela efetivaram "casamentos de contrato", costume compartilhado pela comunidade sertaneja como uma afirmação de valores "tradicionais". Respaldada por sólido referencial teórico, a obra também oferece um panorama da sociedade de Serrolândia reunido a uma rica historiografia, submetidos a densa reflexão.

A Cidade-Atração: a Norma de Preservação de Áreas Centrais no Brasil dos anos 1990, de Marcia Sant’Anna:
Preço especial de lançamento: R$ 35,00
A Cidade-Atração investiga os programas e projetos que, a partir dos anos 1990, incorporaram o patrimônio de cidades brasileiras como um ativo urbano destinado a contribuir para a transformação de quadros de desvalorização econômica e de uso e apropriação popular. Com base em processos deflagrados nas áreas centrais de Salvador, Rio de Janeiro e São Paulo, busca compreender os sentidos subjacentes à proliferação e à banalização de práticas preservacionistas e apontar outras possibilidades socialmente mais significativas de uso do patrimônio urbano.
Disputas em Torno do Espaço Urbano: Processos de [re]produção/construção e Apropriação da Cidade, organizado por John Gledhill, Maria Gabriela Hita e Mariano Perelman:
Preço especial de lançamento: R$ 25,00
A publicação é resultado de uma série de textos que dão conta de processos sociais que têm efeitos sobre os modos como as pessoas vivem na cidade. Seus organizadores propõem o fomento de discussões em torno de temas como as perspectivas históricas sobre o processo urbano no Brasil, o acesso ao espaço público e a securitização do espaço urbano e o acesso de diferentes atores sociais aos espaços da cidade. A importância dessas discussões partem do pressuposto de que diálogos interdisciplinares são essenciais para compreender e amadurecer os debates sobre o que ocorre hoje nas cidades, especialmente latino-americanas.

Encontros e Desencontros de Lá e de Cá do Atlântico: Mulheres Africanas e Afro-brasileiras em Perspectiva de Gênero, organizado por Cláudio Alves Furtado e Patrícia Gomes:

Preço especial de lançamento: R$ 22,50
O título aborda temas de gênero no contexto da África Subsaariana e do nordeste do Brasil, e foi estruturado pela necessidade de repensar e questionar algumas das concepções eurocêntricas no âmbito do estudo sobre mulheres e gênero, e reavaliar a eficácia da sua aplicabilidade nessas realidades. A partir da análise dessas, a obra procura possíveis formas de diálogo entre as experiências das mulheres africanas e afro-brasileiras, e busca proporcionar ao leitor uma visão mais ampla e articulada dos processos históricos nessas realidades "(in)distintas" do continente africano e do Brasil.

Ensino Coletivo de Instrumentos Musicais: Contribuições da Pesquisa Científica (Série Paralaxe, n. 3), organizado por Tais Dantas e Diana Santiago:

Preço especial de lançamento: R$ 16,50
O livro é uma coletânea de artigos oriundos das pesquisas sobre Ensino Coletivo de Instrumento Musical (ECIM)  realizadas no Programa de Pós-graduação em Música da UFBA nos últimos anos. O ECIM vem sendo difundido de forma crescente no Brasil nas últimas décadas. A Universidade Federal da Bahia (UFBA) foi pioneira na institucionalização das metodologias e das práticas de ECIM no âmbito das universidades brasileiras, por meio da criação das oficinas de música, do projeto de extensão ligado a Escola de Música, e da produção apresentada no Programa de Pós-Graduação em Música.

Gregório de Mattos e Guerra: uma Re-visão Biográfica, de Fernando da Rocha Peres:
Preço especial de lançamento: R$ 15,00
A obra biográfica  revelando certos aspectos da vida de  Gregório de Mattos e Guerra, utilizando-se de documentos de arquivos e poemas apógrafos, que servem para situar e datar o homem e (re)modelar o seu "mito" e desmantelar a visão estereotipada a respeito do poeta que perdura até hoje. O livro retoma Gregório de Mattos e Guerra, sem intenções de restaurar, mas buscando dar uma nova luz a esse autor que existe como um "fantasma literário", através de seus textos apógrafos.

Nas Fronteiras da Linguagem: Língua, Literatura e Cultura, organizado por Silvania Núbia Chagas:
Preço especial de lançamento: R$ 17,50
Dividida em quatro partes, a publicação é o resultado do trabalho de diversos estudiosos de Linguística e Literatura, que constroem saberes para refletir sobre a trajetória das Ciências Humanas. Na obra, são exploradas diferentes formas de apresentação da linguagem, seu dinamismo e a forma como ela se atualiza e integra os povos culturalmente, discute o ensino da língua e suas transformações nos diferentes âmbitos da linguística, e analisa a plurissignificação da palavra nas malhas discursivas do poema, entre outros temas que demonstram que a linguagem não é apenas veículo de comunicação, uma vez que transcende e ultrapassa todos os limites impostos pelo cotidiano.

Os Sentimentos Sociais com Base em Laços de Tom Positivo: uma Contribuição da Psicanálise Freudiana aos Estudos Culturais, de  Denise Maria de Oliveira Lima:

Preço especial de lançamento: R$ 12,50
A autora retoma neste livro uma estrada que tem palmilhado passo a passo, que é o favorecimento do encontro da psicanálise com a sociologia, trazendo agora o conceito de identificação, por ser um ponto de convergência privilegiado para se tecer a articulação dessas duas vertentes do pensamento. O exame do conceito de identificação em toda a obra de Freud contribui de forma pioneira para os Estudos Culturais, para uma análise dos dilemas da desigualdade e diferença no mundo atual, proporcionando a discussão de mecanismos que possam promover, no futuro, relações sociais em que as diferenças serão tratadas como manifestações de expressões distintas e complementares de humanidade. As fronteiras não serão mais defendidas com muros e grades, e sim espaços de circulação e trânsito, abertos ao convívio e à troca afetiva.
Perspectivas de Interpretação, Teoria e Composição Musical (Série Paralaxe, n. 2), organizado por Heinz Karl Schwebel:
Preço especial de lançamento: R$ 17,50
O livro trata do paralaxe, que é a lacuna entre os dois modos constituintes da presença da música em nossas universidades hoje: teoria e composição. Busca-se a contraposição subversiva e confrontamento igualitários entre os modos, acreditando que é do alinhamento desses modos que podemos estabelecer um rumo que tenha mais sentido para quem empreenda essa jornada em uma universidade. Compositores e intérpretes focam nas teorias "além" de suas práticas – buscando sentidos mais coerentes para estas, ou que vão nortear seus discursos de cunho mais teorizante através de práticas por eles realizadas.

Sequências para o Ensino de Geometria do Ensino Básico, organizado por Saddo Ag Almouloud, Maria José Ferreira da Silva e Luiz Márcio Santos Farias:
Preço especial de lançamento: R$ 25,00
A obra tem o objetivo de propor reflexões e atividades oriundas de estudos de fatores, analisando o processo de aprendizagem com a Teoria das Situações, juntamente com alternativas que influenciam o ensino e a aprendizagem de noções geométricas para o Ensino Fundamental, apresentando situações-problema desenvolvidas para a capacitação de professores e alunos do Ensino Básico. Essas atividades foram desenvolvidas com o intuito de permitir ao aluno desenvolver certas competências e habilidades (agir, se expressar, refletir, evoluir por iniciativa própria), assim como construir novos conhecimentos e estratégias de resolução de problemas.

Transviad@s: gênero, sexualidade e direitos humanos, de Berenice Bento:
Preço especial de lançamento: R$ 45,00
O livro reúne textos cuja temática gira em torno das disputas que acontecem na sociedade em torno das sexualidades e dos gêneros. Nele, as questões trans são examinadas por diversas angulações, como as visões biomédicas e o pensamento crítico sobre transexualidade, as reformas legais, as modificações corporais, e os direitos de identidade social e de acesso à saúde, por exemplo. Na publicação também são exploradas as discussões sobre discriminações cruzadas ou "intersecionalidade" entre classe, raça e gênero, as armadilhas das políticas de identidade e dos discursos de direitos humanos e os efeitos perversos da institucionalização.

Clique aqui para conferir outros títulos da editora (que também estarão disponíveis no evento).
Compartilhar:

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Salvador: Médica acusada de provocar acidente que matou dois irmãos vai a júri popular


Resultado de imagem para MÉDICA BAIANA kÁTIA aLVES
A médica Kátia Leal -foto:reprodução G1.Bahia

                                           Os irmãos Emanuel e Emanuelle estavam  em uma  moto -foto:reprodução
A médica Kátia Vargas Leal Pereira, 48 anos, acusada de provocar o acidente dos irmãos Emanuel Gomes, 21 anos, e Emanuelle, 23 anos, no bairro de Ondina, em Salvador, no dia 11 de outubro de 2013, vai a júri popular no dia 7 de novembro. A sessão será aberta ao público a partir das 8h no Fórum Ruy Barbosa.
De acordo com o advogado da família dos irmãos, Daniel Keller, a acusação está confiante. “Estamos nos preparando para o julgamento e temos toda a certeza de que ela será condenada”, disse ao BNews na noite desta quarta-feira (16).
Keller ainda contou que conversou com a mãe dos jovens, Marinúbia Gomes, que está satisfeita com o encaminhamento. “Ela não quer mais dar declarações, pois quer se preservar um pouco. Mas ela está muito satisfeita e espera que Kátia seja condenada”, contou.
A médica é acusada por duplo homicídio qualificado e pode pegar de 24 a 60 anos de detenção em regime fechado.
O caso
Dia 11 de outubro de 2013, os irmãos Emanuel e Emanuelle estavam em uma moto quando sofreram uma batida pelo carro dirigido por Kátia Vargas, em frente ao Ondina Apart Hotel. Segundo a conclusão do inquérito policial e acusação do Ministério Público (MP), a colisão foi provocada de maneira intencional pela médica. Ela havia discutido com Emanuel perto de um sinal pouco antes.
Em dezembro do ano passado foi realizada a constituição do crime, feita pelo Departamento de Polícia Técnica (DPT). Testemunhas, que não foram nomeadas no despacho da Justiça, participaram da reconstituição. No mesmo ano do acidente, a família conseguiu com o que caso fosse a júri popular. O Supremo Tribunal Federal (STF) negou um pedido da defesa da médica para que isso não ocorresse. A defesa da oftalmologista já havia recorrido ao Superior Tribunal de Justiça (STJ), que também negou.
De acordo com o inquérito policial da 7ª Delegacia (DT/Rio Vermelho), a oftalmologista arremessou o veículo que dirigia contra uma moto pilotada por Emanuel Gomes Dias que trazia na garupa sua irmã Emanuele Gomes Dias, projetando-os contra um poste, em frente ao Ondina Apart Hotel, resultando na morte instantânea dos irmãos. Imagens gravadas do local mostram o carro da médica seguindo atrás da moto antes da batida. A médica ficou presa por quase 2 meses no Conjunto Penal Feminino, no Complexo da Mata Escura, em Salvador. 
Compartilhar:

Ensino Superior: Universidades federais dizem ter verba apenas até setembro


Prédio da reitoria da UFRJ na cidade universitária (Foto: Blog Fique Informado 09/16)
Renegociação de contratos, redução nos cardápios em restaurantes universitários, falta de recursos para manutenção, atraso no pagamento de contas. Essa é a realidade de algumas universidades federais, que reclamam da falta de verbas e do contingenciamento de recursos feito pelo governo federal.
O presidente da Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes), Emmanuel Tourinho, diz que os valores de custeio previstos para este ano para as universidades não são suficientes nem mesmo para as despesas regulares com energia, vigilância, limpeza, bolsas para os alunos de baixa renda e serviços de manutenção das instalações.
“Não será possível manter as instituições funcionando adequadamente se esse quadro não for rapidamente alterado. Os valores liberados até agora só garantem o funcionamento das instituições até setembro”, diz.
Segundo ele, não há recursos para concluir as obras inacabadas, e universidades mais antigas estão com infraestrutura deteriorada por falta de recursos para manutenção. Além disso, instituições novas estão funcionando em prédios alugados por falta de recursos para concluir as suas instalações
“É imprescindível recompor imediatamente os orçamentos das universidades federais. Estamos falando de um patrimônio dos mais valiosos para a sociedade brasileira e que está sendo colocado em risco. O prejuízo no longo prazo será incalculável”, diz Tourinho, que também é reitor da Universidade Federal do Pará (UFPA).
Na semana passada, o Ministério da Educação (MEC) anunciou um aumento em cinco pontos percentuais no limite de empenho para custeio e investimento de universidades e institutos federais. Com o aumento, o limite do custeio, que é utilizado para a manutenção das instituições de ensino, passou de 70% para 75% e o limite de capital, utilizado para adquirir equipamentos e fazer investimentos, passou de 40% para 45%.
Mesmo com a liberação, o presidente da Andifes diz que a situação das instituições não muda, quanto a sua capacidade de honrar compromissos até setembro. “Para 2018, o quadro é também preocupante. Não temos ainda a previsão de recursos para investimento, nem a correção dos recursos de custeio”, diz Tourinho.
Gestão
O ministro da Educação, Mendonça Filho, diz que a meta é liberar 100% dos valores para custeio até o fim do ano. “Estamos no meio do exercício, e as liberações ocorrerão gradualmente, ao longo dos próximos meses, até dezembro. Então, posso tranquilizar as universidades federais de que os recursos serão liberados”, disse. De acordo com o MEC, neste ano já foram liberados R$ 4,8 bilhões para limite de empenho das universidades federais.
Para 2017, o limite de empenho previsto inicialmente para as universidades é 85% do valor previsto para despesas de custeio e de 60% para despesas de capital. “No entanto, o MEC está trabalhando para aumentar esse limite, assim como fez no ano passado, quando, mesmo após o contingenciamento feito pelo governo anterior, conseguiu liberar 100% de custeio para as universidades”, diz o ministério.
Segundo o ministro Mendonça Filho os problemas financeiros enfrentados pelas universidades muitas vezes decorrem de má gestão. “Em muitas situações de universidades federais há divergência e desequilíbrio do ponto de vista de capacidade gerencial. Algumas universidades não enfrentam problemas e dificuldades, porque elas são competentes, capazes e qualificam melhor suas gestões”, disse, lembrando que não compete ao MEC liberar a administração de recursos nas universidades federais.
UnB corta despesas e renegocia contratos
Na Universidade de Brasília (UnB) , o déficit orçamentário estimado para este ano é de R$ 105,6 milhões. A decana de Planejamento e Orçamento, Denise Imbroisi, diz que a universidade só tem recursos para funcionar até o mês que vem e conta com uma suplementação de crédito do governo para se manter até o fim do ano.
“Nosso objetivo é manter funcionando de forma adequada, não a ideal, durante todo o ano. Temos recursos orçamentários para sobreviver até o fim de agosto, início de setembro”, informou.
Desde o ano passado, a universidade vem renegociando contratos com prestadores de serviços para tentar reduzir as despesas. No contrato com o restaurante universitário, por exemplo, foi possível uma redução de 15% do valor com o corte de itens do café da manhã como suco, iogurte e chá, e adequação da proteína oferecida no almoço – inclusão de carne de costela, rabo de boi, linguiça e hambúrguer nos cardápios.
A UnB também pediu ao MEC para que aumente o teto de receita própria que pode ser arrecadada por meio de alugueis ou projetos de professores. Foi solicitado também o uso do superávit de anos anteriores, que foram para o Tesouro.
UFRGS atrasa pagamento de contas
Na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), a projeção é de um déficit de R$ 40 milhões até o fim do ano. Segundo o reitor da universidade, Rui Vicente Oppermann, a prioridade da administração é o pagamento de terceirizados. “Hoje temos uma tomada de decisão que é quase aquela de Sofia – onde é que vou fazer cortes? Nos últimos anos temos feito racionalização de serviços para diminuir a despesa com terceirizados, mas já chegamos a um limite”, contou.
As despesas compulsórias como contas de luz, água e comunicação estão sendo deixadas de lado no momento. “Contamos com a compreensão dos prestadores desses serviços públicos para que possamos fazer a rolagem dessa dívida sem maiores consequências.” O segundo item na lista de corte são os serviços de reformas e manutenção, importantes por se tratar de um campus extenso e com prédios antigos.
O reitor espera que não haja necessidade de reduzir mais os serviços como segurança, limpeza e fornecimento de alimentos. “Estamos confiando em um mínimo de sensibilidade do governo na liberação de recursos para que a gente possa chegar com pelo menos 90% do custeio liberado até o fim do ano”, admitiu.
UFRJ considera situação orçamentária crítica
Na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), a situação orçamentária é considerada crítica. O orçamento deste ano é 6,7% inferior ao do ano passado. “É importante lembrar que em 2016 muitas contas somente foram pagas até o mês de setembro, deslocando o pagamento das despesas não pagas para o orçamento de 2017”, afirmou o reitor da UFRJ, Roberto Leher.
Nos últimos três anos, o quadro de pessoal terceirizado foi reduzido à metade, e contratos com permissionários foram revisados. A universidade lançou uma campanha com a meta de reduzir em 25% as despesas com energia elétrica.
A UFRJ diz que, desde 2014, a falta de recursos afeta gravemente o funcionamento da universidade. “Nos últimos anos, a UFRJ vem sofrendo cortes crescentes, significativos e rigorosos, em seu orçamento, os quais comprometem sua capacidade de funcionamento e suas possibilidades de oferecer o melhor acolhimento aos alunos que chegam à universidade pelas novas vagas geradas no processo de expansão e pelas cotas criadas para democratizar o acesso e a garantia das ações afirmativas”, diz a universidade, em nota.
UFMG diz que tem recursos para custeio até setembro
O reitor da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Jaime Ramírez, conta que só há recursos para as despesas cotidianas, como insumos e serviços terceirizados, até setembro. “Se o governo federal mantiver a liberação de recursos no patamar de 85% do previsto, não só a UFMG, mas todas as outras federais vão ficar em situação grave até o fim do ano.”
No entanto, ele garante que a universidade não irá suspender as atividades-fim, mesmo que seja preciso atrasar pagamentos de fornecedores. Ramírez assegura que não haverá redução no pagamento de bolsas e benefícios de assistência estudantil, pois recursos de custeio têm sido utilizados para complementar o pagamento dos benefícios.
A administração da UFMG está trabalhando para que o governo federal libere R$ 25,98 milhões de recursos de custeio, o que corresponde a 15% do orçamento da universidade para 2017. O orçamento de custeio da UFMG em 2017 é de R$ 173,2 milhões, cerca de 10% inferior ao de 2016.
fonte:MSN/ESTADÃO
Compartilhar:

Ex- presidente da Câmera Aldo Rabelo deixa PCdoB após 40 anos

esporte-ministro-aldo-rebelo-futebol-20130122-01-original.jpeg: O ex-ministro e ex-presidente da Câmara dos Deputados, Aldo Rebelo, que deixou o PCdoB
foto:reprodução
O ex-ministro e ex-presidente da Câmara, Aldo Rebelo, encerrou uma convivência de 40 anos com o PCdoB e deixou o partido. A informação foi confirmada pela presidente nacional do partido, Luciana Santos, nesta quarta-feira. “Entretanto, dada a convergência de opiniões políticas e os fortes laços que continuam ligando Aldo ao nosso partido, manteremos o diálogo em torno das grandes questões nacionais”, disse a dirigente.
Ex-militante da Ação Popular, Aldo entrou para o PCdoB em 1977, ainda na clandestinidade, presidiu a União Nacional dos Estudantes (UNE), de 1980 a 1981, e fez uma extensa carreira tanto no Legislativo quanto no Executivo. Como deputado, foi eleito para seis mandatos – de 1991 a 2014 – e chegou a ser presidente da Câmara no período entre 2005 e 2007.
Nos governos petistas, foi ministro das Relações Institucionais (2004 a 2005), com Luiz Inácio Lula da Silva, e do Esporte (2011 a 2015) – quando participou da organização da Copa do Mundo -, Ciência, Tecnologia e Inovação (2015) e Defesa (2015 a 2016), com Dilma Rousseff.
Em 2014, ele não disputou eleição. Nos últimos tempos, tem se dedicado à pauta do agronegócio e do meio ambiente. Ele não se pronunciou sobre sua saída do PCdoB, nem sobre qual será seu destino. Em maio, a coluna Radar antecipou que Rebelo poderia sair do partido e que havia recebido um convite do PSB.
Compartilhar:
Proxima  → Inicio

Pesquise

Mais vistas

Marcadores

Seguidores

Total de visualizações

Tecnologia do Blogger.