segunda-feira, 19 de novembro de 2018

Em 2019: Aroldo Moreira é o novo treinador do Juazeirense


Resultado de imagem para treinador aroldo moreira
Aroldo já foi treinador do SUB-20 e da equipe principal do Bahia -foto:reprodução


A Juazeirense já tem um novo técnico para a temporada 2019. Trata-se de Aroldo Moreira, ex-treinador do Bahia Sub-20. A informação foi revelada nesta segunda-feira (19) pelo deputado estadual Roberto Carlos (PDT), que é presidente da agremiação.

“Acertamos com Aroldo. Nós conversamos com ele e mostramos  projeto da Juazeirense. Ele abraçou a causa. Queremos fazer um time mais jovem e ele tem esse perfil, pois os atletas jovens que estão se destacando na equipe principal do Bahia passou por Aroldo”, disse o parlamentar-cartola, em entrevista ao Bahia Notícias.

Roberto Carlos ainda traçou metas para a temporada 2019. O time irá disputar o Campeonato Baiano, Copa do Brasil, seletiva da Copa do Nordeste e a Série D.

“A gente quer fazer outra boa campanha no Campeonato Baiano, mas dessa vez chegar pelo menos na final.  Também queremos passar da seletiva da Copa do Nordeste e ter um bom desempenho na Copa do Brasil, que tem boas premiações. E o principal é nosso retorno a Série C”, destacou.

Essa será a terceira passagem de Aroldo Moreira na Juazeirense. Seu último trabalho no Cancão de Fogo foi em 2012.


fonte:BN - 19/11/18 - 09:20min.
Compartilhar:

IF Baiano abre vagas para professores substitutos;inscrições até 20/11



foto:reprodução

O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Baiano (IF Baiano) está com quatro vagas abertas para professores substitutos. As oportunidades são para o campus de Uruçuca. As inscrições estão abertas e podem ser realizadas até o dia 20 de novembro. 

As vagas são destinadas para as seguintes áreas: Turismo (1); Informática (1); Agrimensura (1) e Libras (1), com regime de 20h a 40 horas semanais. Os com salários variam entre R$ 2.236,31 a R$ 5.786,68. A seleção tem validade de um ano, mas pode ser prorrogada por igual período.

Os interessados podem se inscrever gratuitamente através do preenchimento da ficha de inscrição que está disponível no edital, hospedado no site da instituição. Em seguida, eles devem enviar o formulário para o email selecao.professor@urucuca.ifbaiano.edu.br ou entregar de forma presencial na Coordenação Geral de Ensino do Campus de Uruçuca, das 8h às 12h.

Os candidatos serão avaliados por meio de prova de desempenho didático, que é eliminatório e classificatória, e também por uma prova de títulos, que é classificatória. 

fonte:Ibahia/reprodução
Compartilhar:

domingo, 18 de novembro de 2018

Futuro governo: Dono da Odebrecht acredita que Mourão se tornará presidente em menos de 2 anos


                                   foto:reprodução


Acostumado a transitar entre políticos no Brasil, o presidente do Conselho de Administração da Organização Odebrecht, Emílio Odebrecht, não enxerga futuro em Jair Bolsonaro (PSL) como presidente. De acordo com a coluna de Lauro Jardim, no jornal O Globo, o empresário que auxiliou o Ministério Público Federal (MPF) na delação da construtora baiana tem dito que o general Hamilton Mourão (PRTB) se tornará o presidente da República em menos de dois anos. 

Para isso, o então presidente eleito precisa ser deposto ou renunciar o cargo. Em entrevista a Globo News durante as eleições, Mourão declarou que existe possibilidade dos militares arquitetarem o que ele chamou de “autogolpe” no Brasil (lembre aqui), caso o lugar de Bolsonaro fosse ameaçado. 


Fonte:BN 18/11/18 - 11:34min.
Compartilhar:

Bahia: Parque Pau Brasil será privatizado


Imagem relacionada
foto:reprodução/google

Parque Nacional do Pau Brasil, localizado a 35 quilômetros do centro de Porto Seguro, no extremo sul da Bahia, deve ter o processo de privatização concluído até o fim deste ano. Segundo o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), a licitação lançada em agosto prevê a contratação de serviços de apoio à visitação, ao turismo ecológico, à interpretação ambiental e à recreação em contato com a natureza.
Serão delegados à iniciativa privada serviços de cobrança de ingressos, transporte interno, estacionamento de veículos, lanchonetes, loja de conveniência, espaço do ciclista, centro de visitantes, espaço de campismo, tirolesa e passarelas suspensas. A empresa vencedora poderá explorar os serviços por quinze anos. Nesse período, terá que fazer investimentos de R$ 7,2 milhões na estrutura da unidade de conservação, gerida pelo ICMBio.
No Parque Pau Brasil, encontram-se exemplares da espécie que deu nome ao país e está na história do Descobrimento. A árvore é um dos símbolos nacionais e é homenageada no calendário de datas festivas, o 3 de maio, Dia Nacional do Pau-Brasil. Além do maior remanescente natural da espécie, o parque, com mais de 19 mil hectares de Mata Atlântica preservada, os visitantes encontrarão trilhas sinalizadas e mirantes de observação para apreciar as belas paisagens naturais do local.
Plano de privatização 
De acordo com a Coluna do Estadão, do jornal O Estado de S. Paulo, o governo de Michel Temer entregará à equipe de transição de Jair Bolsonaro um plano para privatizar nove parques nacionais. A ideia é aliar a preservação ambiental ao turismo. Atualmente, das 324 unidades de conservação no país, só 53 estão abertas à visitação. As quatro já concedidas à iniciativa privada são responsáveis por 60% do ecoturismo no Brasil.
Além da Chapada dos Veadeiros, em Goiás, e do Parque Pau Brasil, na Bahia, que estão com licitações adiantadas, outros parques nacionais podem ser privatizados por até 20 anos, a exemplo da Serra da Canastra, Chapada dos Guimarães, Lençóis Maranhenses e o Parque Nacional de Jericoacoara.

fonte:Bnews 18/11/18 -11:40min.
Compartilhar:

sábado, 17 de novembro de 2018

Mundo: CIA conclui que príncipe herdeiro saudita mandou matar jornalista

(FILES) This file photo taken on October 24, 2017 shows Saudi Crown Prince Mohammed bin Salman attending the Future Investment Initiative (FII) conference in Riyadh. On November 4, 2017 Saudi Arabia arrested 11 princes, including a prominent billionaire, and dozens of current and former ministers, reports said, in a sweeping crackdown as the kingdom's young crown prince consolidates power. / AFP PHOTO / FAYEZ NURELDINE
foto:reprodução
A Agência Central de Inteligência dos Estados Unidos (CIA) concluiu que o príncipe herdeiro da Arábia Saudita, Mohammed bin Salman, ordenou o assassinato do jornalista Jamal Khashoggi, crítico do governo, no consulado do país em Istambul, na Turquia, no início de outubro. As conclusões foram reveladas pelo jornal The Washington Post ontem(16).
Segundo o próprio governo da Arábia Saudita, Khashoggi foi morto por um grupo de agentes do país – alguns deles próximos ao príncipe herdeiro – no dia 2 de outubro. Ele estava no consulado para pegar documentos para se casar com sua mulher turca.
Post, que cita fontes com conhecimento do caso, afirmou que a CIA descobriu que Khashoggi, que vivia em Washington, conversou com o embaixador saudita nos EUA e irmão do príncipe herdeiro, Khaled bin Salman, sobre a viagem à Turquia para obter os documentos. 

De acordo com a CIA, o embaixador pediu que Khashoggi fizesse os trâmites burocráticos em Istambul por solicitação do príncipe do herdeiro. E garantiu que nada ocorreria com o jornalista. Ainda não está claro, segundo o Post, se o embaixador sabia dos planos para assassinar o jornalista na Turquia.
Uma porta-voz da embaixada saudita em Washington negou ao jornal o conteúdo da conversa entre o embaixador e o jornalista. Segundo ela, as conclusões da CIA são “falsas”.
Após o desaparecimento do jornalista, a Arábia Saudita afirmou que Khashoggi saiu sozinho do consulado. No entanto, a pressão internacional e as provas apresentadas pela Turquia fizeram o governo saudita admitir que o opositor morreu no local.
Na primeira versão da morte, os sauditas afirmaram que Khashoggi havia morrido em uma briga. Depois, o governo reconheceu que o jornalista foi vítima de um assassinato premeditado.
Cerca de 15 agentes que haviam chegado em Istambul na noite anterior esperavam Kashoggi no consulado saudita. Quatro deles fazem parte do esquema de segurança do príncipe herdeiro, que nega qualquer envolvimento no crime.
Segundo o Post, a CIA considera Mohammed bin Salman como um “bom tecnocrata”, mas o classifica como “volátil”, arrogante e explosivo. No entanto, a agência acredita que ele sobreviverá ao escândalo da morte de Khashoggi e seguirá como herdeiro do torno do país.
fonte:Veja 17/11/18 - 10:46min.
Compartilhar:

Bahia: Sem cubanos, 10 cidades ficarão sem nenhum médico na assistência básica, 01 na região de Irecê

    foto:reprodução
Dez cidades baianas, todas com menos de 40 mil habitantes, ficarão sem nenhum médico para atendimento na assistência básica com a saída dos profissionais cubanos do programa Mais Médicos, anunciada nesta semana pelo governo do país. O executivo estadual estima que a decisão vai afetar a vida de cerca de 3 milhões de pessoas, que ficarão sem assistência.
A Bahia, que abriga 10% do total de médicos cubanos hoje no país, é o segundo estado que mais vai perder profissionais do Mais Médicos — fica atrás apenas de São Paulo, que tem 16% de todos os médicos de Cuba hoje no país.


Atualmente, segundo a Secretaria Estadual de Saúde (Sesab), a Bahia possui 1.522 médicos do Programa Mais Médicos, que estão alocados em 363 dos 417 municípios. Deste total de profissionais, 846 são cubanos, que estão distribuídos em 317 municípios — há médicos também de países como México, Espanha e Angola.
Os cubanos atendem, diariamente, 20,4 mil pessoas no estado — 326 mil mensalmente e 3 milhões anualmente. A estimativa do governo é que esses profissionais comecem a deixar o estado já a partir do dia 25 de novembro.
Os municípios baianos onde só médicos cubanos trabalham na assistência básica e que perderão 100% dos profissionais são:
Apuarema (3 médicos)

Central (6)
Correntina (8)
Itagibá (3)
Lafaiete Coutinho (2)
Lajedão (2)
Nova Itarana (3)
Nova Soure (5)
Palmeiras (4)
Pedro Alexandre (6)


Do total de municípios que contam atualmente com o programa Mais Médicos na Bahia, em 99, o número de médicos cubanos representa mais de 50% do total de profissionais da atenção básica.
Ainda conforme dados do governo local, 17 comunidades indígenas também ficarão sem assistência em todo o estado.
A Sesab aponta que a retirada antecipada dos médicos representa "grave ameaça para municípios baianos". Diz que, ao longo de cinco anos de existência do programa, mais de 5,6 milhões de pessoas foram beneficiadas, cerca de 800 mil consultas realizadas por mês, com uma cobertura de 72% da atenção básica.
"Com a atuação deles, desde o início, há cinco anos, a gente percebeu uma redução do número de internações nos nossos indicadores. Hoje, com a saída deles, vai ocorrer a ampliação da demanda em pronto atendimentos e de internações hospitalares, caso não se tenha a substituição desses médicos a curto e médio prazo. A longo prazo, é catastrófico", destaca o diretor de atenção básica da Sesab, Cristiano Soster.
No ranking de cidades que vão perder o maior número de cubanos, mas ainda manterão médicos na assistência básica, Teixeira de Freitas, na região sul, aparece no topo. A cidade perderá 18 profissionais cubanos. Já Salvador possui atualmente dois cubanos trabalhando.
A secretaria aponta que o programa vinha sendo extremamente relevante, sobretudo, para os moradores dos municípios distantes dos grandes centros, pela maior dificuldade de acesso aos serviços de saúde, e afirma que a saída dos cubanos pode resultar na superlotação de Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) e aumento de internações.
Soster diz que é preciso preencher as vagas deixadas pelos cubanos o quanto antes, mas afirma que, historicamente, alocar médicos brasileiros para localidades distantes dos grandes centros urbanos é complicado.
"Na prática, todos os editais que foram lançados pelo Ministério da Saúde para o Mais Médicos — já são mais de 15 editais de chamamento e convocação de médicos — não teve adesão dos médicos brasileiros. Eles não tiveram interesse em ir para essas comunidades distantes, que têm uma dificuldade estrutural. Isso é o que a gente vem percebendo. A prioridade é sempre para os brasileiros, mas como as vagas não são preenchidas, são convocados médicos do exterior", explica.
Saída de médicos
O governo de Cuba anunciou a retirada dos médicos do programa na quarta-feira (14), citando "referências diretas, depreciativas e ameaçadoras" feitas pelo presidente eleito Jair Bolsonaro à presença dos profissionais no Brasil.
O presidente eleito Jair Bolsonaro informou, no entanto, que o governo cubano decidiu deixar o programa Mais Médicos por não concordar com a realização de testes de capacidade para os profissionais e outras condições para continuar no programa.
Cuba tem uma parceria com a Organização Pan-Americana de Saúde (Opas), que estabeleceu o acordo com o Ministério da Saúde brasileiro para enviar profissionais do país. O acordo foi estabelecido há 5 anos durante o governo de Dilma Rousseff.
Em todo o pais, os cubanos representam 45% dos 18.240 profissionais que trabalham no Mais Médicos atualmente.
O Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems) informou, na quinta-feira (15), ter sido avisado pela embaixada de Cuba que todos os médicos cubanos deixarão o Brasil até o fim do ano.
O Sindicato dos Médicos da Bahia (Sindimed) informou que solicita que haja medidas imediatas para que as vagas deixadas em aberto sejam preenchidas por médicos do Brasil e que "a população não pode agora ficar ainda mais desassistida".
O Conselho Federal de Medicina (CFM) disse que o Brasil conta com médicos formados no país em número suficiente para atender às demandas da população e que "cabe ao Governo – nos diferentes níveis de gestão – oferecer aos médicos brasileiros condições adequadas para atender a população.
O órgão destacou, ainda, que, para estimular a fixação dos médicos brasileiros em áreas distantes e de difícil provimento, "o Governo deve prever a criação de uma carreira de Estado para o médico, com a obrigação dos gestores de oferecerem o suporte para sua atuação, assim como remuneração adequada".
O Ministério da Saúde informou que vai preencher as vagas deixadas pelos cubanos com médicos brasileiros e que a seleção de profissionais ocorrerá ainda em novembro.


Fonte: G1 -17/11/128 -10:24min.
Compartilhar:

Cultura: Primeira biografia de Jorge Amado revela fatos inéditos da vida do escritor

Perfil para marcar o centenário do autor em 2012 foi transformado em livro após início das pesquisas
A jornalista baiana Josélia Aguiar começou sua trajetória com Jorge Amado (1912-1900)  num barquinho a remo. Mas, quando se deu conta, estava em alto-mar embarcada num transatlântico, navegando num mar de informações sobre o romancista mais lido no Brasil e no exterior. Na viagem, que durou quase oito anos, percebeu que as pessoas (incluindo ela própria)  achavam que sabiam tudo sobre Jorge. 
Assim, foi construindo um retrato do autor de Gabriela, Cravo e Canela como nunca se viu antes. O resultado está na polpuda edição de Jorge Amado: Uma Biografia (Editora Todavia), que terá lançamento nacional em Salvador no dia 27, às 19h, no Palacete das Artes (Graça). 
Josélia Aguiar lança biografia nacionalmente em Salvador, no próximo dia 27 (Foto: Arisson Marinho/ CORREIO)
“Agora, parece que tirei um peso da minha cabeça. Jorge é um personagem muito complexo. Toda vez que achava que ia terminar, surgia uma coisa nova”, revela Josélia, que foi curadora da Festa Literária Internacional de Paraty (Flip) em 2017 e 2018.
Em 2011, a proposta era escrever apenas um perfil biográfico para marcar o centenário do autor em 2012. “Mas, percebi que um perfil ia ser um desperdício. A história começou de forma desprensiosa e foi crescendo com o tempo”, diz Josélia. Dessa forma, pacientemente, resolveu tomar para si a missão de narrar a primeira obra biográfica do marido de Zélia Gattai (1916-2008).

Detalhes
Nesse tempo, só se envolveu em projetos de curta duração e achou que tinha terminado o livro em 2017. Achou porque um nome a perseguia nos círculos literários onde falava da biografia de Jorge: o do editor, biógrafo e agente literário americano Thomas Colchie. Nome forte da Penguin Randon House, foi ele quem primeiro se candidatou a escrever o livro da vida de Jorge, no início da década de 90, e passou três anos entre pesquisas e entrevistas. Mas, diante do imenso navio de cabotagem, desistiu e recolheu seus escritos na Universidade de Princeton, Estados Unidos.
Várias tentativas de contato depois, Colchie permitiu que a baiana tivesse acesso aos artigos, desde que fosse lá pessoalmente. E não é que, com livro pronto, Josélia precisou mexer no original? Graças à padroeira da boa pesquisa, foi pouca coisa. “Não tive que mudar o rumo de nada, passei a ter mais detalhes”, conta ela, que tem, ao todo, quatro versões diferentes da obra. “O livro era muito maior do que se lê hoje. Para escrever uma biografia é preciso ter muita entrega, vai te consumindo”, explica a autora.

Jorge Amado ao lado de Sônia Braga, que interpretou Gabriela na novela da TV Globo (Foto: Divulgação)
É no detalhe que  mora o principal aspecto desta. Nascida sob o signo de Virgem, com ascendente em Virgem, Josélia lida bem com isso. Assim, utilizando um misto de técnica de reportagem com metodologia da pesquisa histórica, ela desmontou várias fake news que o próprio Jorge criou ou não quis desmentir.
A jornalista joga luz no início da carreira internacional do escritor, que teria sido alavancada fora do Brasil pelo Partido Comunista, do qual foi militante ativo. Ajudado pela propaganda do partidão, Amado garganteava ter sido publicado na Rússia desde meados da década de 30, fiado de que ninguém iria até aquele fim de mundo checar se os originais enviados tinham saído realmente do prelo. 
Na verdade, ele só foi traduzido na Rússia no fim dos anos 40, depois de ser publicado na França pela requintada  Gallimard (Jubiabá) e nos EUA, pela igualmente refinada editora Alfred Knopf (Terras do Sem Fim).
Diálogo

Outro ponto sobre o autor, que já vendeu mais de 50 milhões de cópias em todo o mundo, e que Josélia ajuda a clarear, tem a ver com a relação de Jorge com a primeira geração de modernistas. A amizade com Oswald de Andrade  (1880-1954) e a gastura que sentia por Mário de Andrade (1893-1945) nunca tinham sido citadas em publicação alguma. Ela conta que o desafeto surgiu quando Jorge declarou que a literatura de  Lima Barreto era superior à de Mário. “Foi por causa de Jorge que passei a me interessar por Lima Barreto”, revela.

Morando em São Paulo há 21 anos, Josélia Aguiar veio muitas vezes a Salvador, onde a família reside, para pesquisar e entrevistar. E revela que deve a Jorge Amado a reaproximação mais forte  com a cidade, que começou graças a Pierre Verger (1902-1996), tema de seu mestrado: “Foi esse livro sobre Jorge que me fez entender muita coisa, como o significado de ser um escritor baiano no Brasil”, afirma .
 Ela conta que rezava a lenda no mercado literário que Jorge Amado demorava de escrever porque tinha preguiça de baiano. “Isso é puro preconceito”, afirma. Parece que a relação com a Bahia vai ficar ainda mais estreita porque Josélia desenvolve seu doutorado na USP também sobre Jorge, analisando desta vez o diálogo dele com autores de sua geração.
“Jorge Amado sempre foi um escritor fora da bolha. E isso fez com que tivesse mais leitores, é uma questão de identificação”, opina a autora.
Num ímpeto de profeta, Jorge dizia que seria esquecido depois de morto. E assim ficaria por quase uma década. Ninguém pode desmentir que seja coisa do destino o lançamento de sua biografia somente agora, 18 anos depois de sua morte e em tempos de ânimos tão acirrados. Ser político em muitos aspectos, Jorge não teria se escondido no anonimato se estivesse vivo, acredita  a biógrafa: “Ele sempre teve diálogo com as pessoas de ideologias diferentes. O que me parece muito claro é que ele teria agido desta forma, deixando suas opiniões claras através do diálogo, porque defendia a liberdade acima de tudo”.
Nesse exercício de recriação de um personagem histórico, a jornalista brinca ao supor o quê seu biografado teria achado do livro.
“Imagino que, em algum lugar, Jorge deve estar se divertido ao se ver como personagem histórico, porque o tratei  com o distanciamento de uma pessoa que não o conheceu. E mais, foi um livro feito por uma mulher. Nas histórias  dele há muitos momentos de empoderamento feminino”, opina.
 
Viagem

Quando Josélia Aguiar defendeu uma nova dimensão para o texto que estava escrevendo sobre Jorge Amado, teve que ouvir do editor a seguinte frase: “Mas, todo mundo sabe tudo da vida de Jorge Amado!”. “Não, todo mundo sabe do folclore”, respondeu a jornalista.

Pois bem, através da pesquisa que  envolveu a consulta a arquivos no Brasil e no exterior e entrevistas com amigos, familiares e até desafetos, ela colabora para a criação de um novo Jorge, sobre quem, na verdade, muito pouca gente sabe além do óbvio que a fama proporciona.
Uma das revelações mais interessantes é o motivo de sua mudança para o Rio de Janeiro, em 1929. Na história oficial, ele teria ido, aos 17 anos, forçado pelo pai, até a capital federal para estudar Direito. Na verdade, num gesto apaixonado, seguiu a beldade Mariá Sampaio, com quem viveu o primeiro grande amor. A ideia era arrumar trabalho e casar por lá mesmo. Acabou que o romance não deu certo e, aí sim, ele ingressou na faculdade de Direito.
Josélia conta que descobriu isso porque uma mulher entrou em contato com ela pelo Facebook e disse que a avó tinha sido namorada de Jorge. “Estava terminando de escrever. Tive que parar tudo o que estava fazendo para correr atrás disso. Na versão oficial, ele foi estudar direito, mas foi mesmo para casar. Acho que ele ia acabar sendo famoso de qualquer jeito, mas a decisão foi passional”, explica. 
Através da biografia é possível compreender como Jorge foi notadamente prejudicado pelo Estado Novo. Proibido de publicar, teve livros recolhidos e incendiados em praça pública. Depois de preso duas vezes, se exilou no interior de Sergipe, em Buenos Aires e Montevideu.
Fica clara também que a qualificação como dignatário do partidão se deu  após escrever a biografia de Luis Carlos Prestes, publicada pela primeira em espanhol, pela editora argentina Claridad, em 1942. Foi esse livro que abriu caminho para os leitores de esquerda da América Latina. Lida clandestinamente no Brasil, só foi lançada por aqui em 1945, por ocasião da reabertura. 
A filha Lila, fruto do primeiro casamento de Jorge e morta aos 15 anos, em 1950, também é vista com detalhes, revelados pelo texto do diário inédito do autor. Inéditos também são os detalhes de sua atuação no cenário do comunismo brasileiro e internacional e a decepção com o stalinismo que ocasionou seu afastamento da política. Ao contrário de versões que circularam, ele não rompeu, tampouco foi expulso do partidão.
A biografia revela ainda  um livro inédito, Rui Barbosa n.2, que mostra um tal de Archanjo, embrião para o Pedro Archanjo de Tenda dos Milagres, livro de 1969.
fonte:Correio da Bahia 17/11/18 - 10:12
Compartilhar:

sexta-feira, 16 de novembro de 2018

Mais Médicos: Senador diz que Cubanos vão embora por causa do "preconceito ideológico" do presidente eleito


   Médicos cubanos a serviço do programa Mais Médicos na cidade de Breves, Ilha do Marajó, 2015 (Créditos: Oganização Pan-Americana de  Saúde/Flickr)

O senador Cristovam Buarque (PPS) criticou novamente o presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL), nesta sexta-feira (16). Em seu Twitter, ele polemizou sobre a responsabilidade do futuro presidente na saída dos mais de 8 mil cubanos do programa Mais Médicos. 
“Se houvesse um Premio Anti Nobel da Paz, por crime contra a humanidade, Bolsonaro seria um bom candidato por ter conseguido desfazer o atendimento médico a milhões de pobres brasileiros, para satisfazer seu preconceito ideológico”. A publicação teve mais de 1.800 curtidas e 500 comentários.

fonte:Ag. Senado
Compartilhar:

Relações Exteriores: Futuro ministro diz que mudança climática é preceito marxista

Futuro ministro de Relações Exteriores diz que mudança climática é preceito marxista
foto:reprodução/ EBC


O futuro ministro de Relações Exteriores do governo Bolsonaro, o embaixador Ernesto Fraga Araújo, de 51 anos, acredita que a mudança climática é um dogma científico influenciado por uma cultura marxista que quer atrapalhar o ocidente e favorecer a China.

“Esse dogma vem servindo para justificar o aumento do poder regulador dos Estados sobre a economia e o poder das instituições internacionais sobre os Estados nacionais e suas populações, bem como para sufocar o crescimento econômico nos países capitalistas democráticos e favorecer o crescimento da China”, defendeu Fraga Araújo em publicação no seu blog.

O futuro chanceler brasileiro defente também que o que ele chama de “globalismo”, “surgiu quando alguém entendeu que o consumismo era o melhor caminho para o comunismo” e a ideia de um mundo onde não haveria fronteiras para o comércio e o investimento avançou para um mundo no qual os países não têm mais identidade. “É a globalização econômica que passou a ser pilotada pelo marxismo cultural”.

fonte:BN 16/11/18 -17hs.
Compartilhar:

Bahia: Justiça proíbe apreensão de veículos com licenciamento atrasado por não pagamento de IPVA

Resultado de imagem para SEDE DO DETRAN DA BAHIA
FOTO:REPRODUÇÃO/GOOGLE
O Departamento Estadual de Trânsito da Bahia (Detran) e Superintendência de Trânsito de Salvador (Transalvador) estão proibidos de apreender veículos por falta de pagamento de IPVA, ainda que seu licenciamento não esteja atualizado.
 A decisão da liminar em Ação Civil Pública (ACP), movida pela Ordem dos Advogados do Brasil - Seção Bahia (OAB-BA), é do juiz da 10º Vara de Salvador, Evandro Reimão dos Reis, publicada na quinta-feira (14).
“Defiro a liminar para determinar si et in quantum aos réus estado da Bahia, Departamento Estadual de Trânsito da Bahia (Detran) e Superintendência de Trânsito de Salvador (Transalvador), doravante, em operações de abordagem de quaisquer veículos neste estado não apreendê-los, ainda que o seu licenciamento não esteja atualizado, por motivo de não pagamento do IPVA”, afirma o magistrado na decisão.
Segundo o juiz, a apreensão de veículos com IPVA atrasado traz constrangimento aos proprietários: “A retenção de veículo por falta de pagamento do IPVA, a par de evidente inconstitucionalidade, submete o proprietário/detentor do veículo assim apreendido a vexatória e gravosa situação”.
A liminar estabelece pena de R$ 2.000 por cada veículo apreendido pela não quitação do IPVA. Além disso, os órgãos devem apresentar relatórios mensais de veículos apreendidos e o respectivo motivo, bem como daqueles que deixaram de ser licenciados após protocolização de pedido do proprietário, como forma de demonstrar o cumprimento da ordem judicial.

fonte:BNews -16/11/2018 -14:33min.
Compartilhar:
Proxima  → Inicio

Pesquise

Mais vistas

Marcadores

Seguidores

Total de visualizações

Tecnologia do Blogger.