sábado, 21 de julho de 2018

EUA: Menos de 1/5 das crianças foram devolvidas aos pais imigrantes


Crianças, filhas de imigrantes ilegais apreendidos na fronteira com o México, são vistas no Departamento de Alfândega e Proteção de Fronteiras dos Estados Unidos, em McAllen, no Texas (US Customs and Border Protection/AFP)
O governo dos Estados Unidos devolveu aos pais 450 crianças imigrantes irregulares maiores de 5 anos que tinham sido detidas na fronteira com o México. O número representa menos de um quinto do total de mais de 2.500 menores separados de suas famílias pela política imigratória de “tolerância zero” do presidente Donald Trump.
A reunificação das famílias é resultado da determinação de um juiz federal de San Diego, que deu ao governo federal até o dia 26 de julho para devolver os 2.551 menores imigrantes, com idades entre 5 e 17 anos, separados dos responsáveis pelas autoridades americanas.
Documento apresentado na quinta-feira (19) ao juiz Dana Sabraw, o governo informou que, dos 2.551 menores nessa faixa de idade, 1.606 são elegíveis para serem reunificados aos pais, enquanto mais de 900 nomes não se enquadram na medida porque, entre outros motivos, os progenitores têm antecedentes criminais ou renunciaram a esse benefício.
Do grupo catalogado como elegível, 954 pais já passaram da etapa de investigação e poderão ser reunificados com seus filhos, enquanto outros estão à espera para serem entrevistados pelas autoridades federais ou foram libertados pelo Escritório de Imigração e Alfândegas (ICE) dos Estados Unidos.
No texto judicial, o governo federal informou que conta com ordens de deportação para 719 pais incluídos neste processo coletivo, elaborado pela União Americana de Liberdades Civis (ACLU).
O juiz Sabraw reconheceu hoje estar “muito impressionado” com o “grande progresso” feito pelo governo para cumprir o prazo estabelecido, pelo menos entre os menores que já foram considerados elegíveis.
Sabraw declarou inclusive que vê um panorama “promissor” para que se realize o total de reunificações a tempo e de maneira segura para os menores.
O magistrado ordenou ao governo em junho a reunificação dos cerca de 2.500 menores que foram separados dos pais após atravessarem a fronteira com o México como parte da política do presidente Donald Trump de “tolerância zero” em relação à imigração ilegal.
Na terça-feira passada (10) foi concluída a primeira parte do prazo dado pelo juiz ao governo para reunificar as famílias dos menores.
O governo deveria entregar 103 menores de 5 anos, mas, no fim, esse número ficou abaixo de 60 devido a medidas de segurança para as crianças, entre outros motivos, segundo as autoridades.
O magistrado havia determinado que nesta quinta-feira o governo federal entregaria um documento sobre as investigações e provas de parentesco feitas a fim de garantir que se entregasse no prazo estabelecido, e de maneira segura, todos as crianças maiores de cinco anos que foram “impropriamente separadas” dos pais.
O governo aceitou simplificar o processo e garantiu que entrevistaria os pais imigrantes ilegais em oito centros de detenção no país e, se não encontrasse nenhum risco, procederia às reunificações em um intervalo de até 48 horas.
Até hoje, o governo federal já reunificou 58 crianças menores de cinco anos e 450 com idades entre 5 e 17 anos.
Fonte: Veja c/ EFE/reprodção
Compartilhar:
←  Anterior Proxima  → Inicio

0 comentários:

Postar um comentário

Pesquise

Mais vistas

Marcadores

Seguidores

Total de visualizações

Tecnologia do Blogger.