terça-feira, 24 de janeiro de 2017

Feira:Informações falsas sobre desaparecimento da menina Gabrielly atrapalham investigações,diz polícia

Boatos sobre outros desaparecimentos e informações falsas atrapalham investigações
A  menina Gabrielly desapareceu no último dia 21/01 em frente a casa da avó no bairro Gabriela em Feira de Santana foto:divulgação


O desaparecimento de Gabrielly Gomes, de 7 anos, chega ao quarto dia nesta terça-feira (24). O caso comoveu todo o estado e até o momento não há pistas de onde ela possa estar. 

Além disso, milhares de informações falsas estão sendo compartilhadas nas redes sociais e até mesmo para a polícia, atrapalhando as investigações.

Boatos relatando que a criança foi encontrada, de que outras crianças desapareceram e que até mesmo um corpo foi encontrado na mala de um veículo estão circulando no WhatsApp sem nenhuma prova consistente ou autoria identificada.

A Polícia Civil designou uma equipe exclusiva para investigar o caso de Gabrielly e conta com o apoio da Polícia Militar nas buscas e também da comunidade com informações reais que ajudem a encontrá-la.

Em entrevista ao Acorda Cidade, a delegada Dorean dos Reis Soares, informou que a polícia ouviu novamente depoimentos de pais, vizinhos e outras pessoas que estão ajudando e, que os boatos tem feito a polícia perder tempo no andamento das investigações.

“Tudo chama a atenção em caso de desaparecimento, mas tem muita informação falsa circulando nas redes sociais, informações falsas sendo encaminhadas para o Centro Integrado de Comunicação da polícia (Cicom). Eu gostaria de lembrar para as pessoas que a vida de uma criança de 7 anos está em jogo. 

A partir do momento em que a pessoa presta uma informação falsa, a polícia vai checar, e perde-se um tempo. Peço encarecidamente, que se coloque no lugar dessa mãe, dessa família, e que pense o seguinte: o que a gente não quer para a gente, a gente não faz com os outros. E se tiver uma informação, não é de ouvir dizer, é informação mesmo. Denuncie, não precisa se identificar, mas denuncie de forma responsável”, declarou.

Os números para fazer denúncias diretamente para a polícia são: 75 3602.3548 (Polícia Civil) e Para o Cicom 190.

A delegada informou ainda que a polícia está trabalhando com hipótese de desaparecimento e não de sequestro.

“A nossa primeira hipótese é desaparecimento até que a linha de investigação aponte outro caminho. Falar de outro crime ainda é muito prematuro. A gente sabe que em caso de sequestro os sequestradores demoram de entrar em contato, mas foge totalmente a característica de um sequestro mediante extorsão porque a família não tem condições, não tem um poder aquisitivo alto. Nossas equipes estão em campo, houve a determinação do diretor do Departamento de Polícia (Depin), delegado Ricardo Brito, para designar policiais para trabalhar exclusivamente nesta investigação e isto está sendo feito.

Ouvimos novamente, o pai, a mãe, vizinho, padrasto, e pessoas que estão ajudando e estamos montando este quebra-cabeça para trazer Gabrielly de volta. Não vamos sossegar até encontrá-la”, declarou a delegada.

Gabriele está desaparecida desde o último sábado, 21 de janeiro, quando brincava na porta da casa da avó no residencial do Minha Casa, Minha Vida, Solar da Princesa, no bairro Gabriela, em Feira de Santana.

fonte:Acordacidade/reprodução
Compartilhar:
←  Anterior Proxima  → Inicio

0 comentários:

Postar um comentário

Pesquise

Mais vistas

Marcadores

Seguidores

Total de visualizações

Tecnologia do Blogger.