terça-feira, 28 de março de 2017

Bahia: Deputado do PCdoB Daniel Almeida defende eleição em lista fechada


foto:reprodução
O debate nacional sobre a adoção ao sistema em lista fechada, no qual o eleitor vota no partido e não no candidato, tem encontrado apoiadores na Bahia. Apesar do prognóstico da concentração de poder e de limitar a renovação dos quadros políticos, o modelo é defendido pelo deputado federal Daniel Almeida, um dos principais caciques do PCdoB na Bahia. “Já há hoje um enrijecimento das cúpulas, é a tradição da política brasileira”, admitiu.
“Este modelo é o que deu mais estabilidade e prevalece nas sociedades que já vivenciaram maior experiência. Na Europa quase todos os países têm esse modelo. Lá tem cultura de cinco, seis mil anos de tentativa de experiências democráticas. Por que deu certo lá e não daria aqui?”, acrescentou.
Em entrevista ao programa Se Liga Bocão, na Itapoan FM, nesta segunda-feira (27), Daniel Almeida disse que atualmente que “as cúpulas partidárias já definem tudo, a partir da mobilização e capturação do poder econômico”.
Segundo ele, o novo formato diminuiria o número de candidaturas, ajudaria a fortalecer programas partidários, além de facilitar o acompanhamento por parte dos eleitores. “Se você perguntar uma semana depois em quem a pessoa votou, ninguém lembra, porque votou naquele oba oba”, confessou.
Fim do foro privilegiado
Daniel Almeida disse que o PCdoB ainda não definiu posição oficial sobre o fim do foro privilegiado a políticos com mandato, mas particularmente disse ser favorável desde que a medida valha desde o presidente da República até agentes do poder judiciário, como juízes e promotores. “Ninguém está acima da lei”.
Lista de Janot
Diante da possibilidade de ter o nome mencionado na lista elaborada pelo procurador geral da República, Rodrigo Janot, para abertura de inquérito a partir da delação de ex-executivos da Odebrecht, o comunistra esbravejou: “Recebi recursos de empresas que têm vínculos com a Odebrecht, mas prestei contas ao TSE. Não credito ao que ele diz o conceito de verdade absoluta. Ninguém é dono da verdade, todos são falíveis, podem cometer erros. Nesse processo de investigação da Lava Jato já se verificou erros grosseiros. Agora estão falando em anular processo que vazaram. A lista de Janot pode ter verdades, pode ter mentiras. Caixa 2 é crime. O problema central é com relação à propina e tem que ser condenado de forma muito dura. Posso olhar no olho do eleitor, nunca vendi meu voto, sempre fiz campanha de forma honesta”.
Chapa majoritária 2018
Nas tratativas locais, Daniel Almeida afirmou que trabalha para a sigla ter espaço na chapa majoritária do governador Rui Costa (PT) em 2018, embora afirme não ter “aliança automática” com o PT.  
“Não temos nenhum tipo de imposição. Não tem aliança automática e submissão [ao PT]. Fizemos disputas em algumas cidades com o PT. Não há alinhamento automático, mas identidade com os projetos de esquerda, feita a partir das eleições de Lula”.
Afirmou também que o partido já superou a participação tímida do PT, especialmente de Rui Costa, na campanha da comunista Alice Portugal à prefeitura de Salvador. “Como principal líder político o governador poderia ter tido uma atitude mais ativa, mas o governador tem características que são próprias, tem o estilo dele. O importante agora é pensar daqui para frente”.

fonte:Bocãonews
Compartilhar:
←  Anterior Proxima  → Inicio

0 comentários:

Postar um comentário

Pesquise

Mais vistas

Marcadores

Seguidores

Total de visualizações

Tecnologia do Blogger.