domingo, 30 de abril de 2017

RS: Morre aos 70 anos o cantor Belchior


O cantor e compositor Belchior
© Foto: Reprodução O cantor e compositor Belchior
atualizada  em 01/05/17 -09:45min.

O cantor e compositor Belchior morreu, aos 70 anos, na madrugada deste domingo, 30, em Santa Cruz do Sul, no Rio Grande do Sul.
A família do artista já comunicou o Governo do Ceará e pediu ajuda para realizar o translado do corpo para a cidade de Sobral, onde ele nasceu e será enterrado.
O Governo do Ceará decretou luto de três dias no Estado. O governador, Camilo Santana, lamentou a morte de Belchior, na sua página no Facebook.
Antônio Carlos Gomes Belchior Fontenelle Fernandes, conhecido como Belchior, fez fama nos anos 70 com álbuns como Alucinação (1976) e Todos os Sentidos (1978).
O cantor havia completado 70 anos no último mês de outubro. Vivendo recluso, seu sumiço dos holofotes era item recorrente no imaginário popular e altamente explorado pela mídia – que o perseguia atrás de entrevistas e fotografias a cada avistamento.
Antonio Carlos Gomes Belchior Fontenelle Fernandes foi um dos expoentes do que se chamou de "invasão nordestina" da música nacional nos anos 1970. Ex-estudante de Medicina, o músico trouxe, junto a artistas como Raimundo Fagner, Ednardo e Amelinha, os sons e os versos do Ceará à MPB.
Começou sua trajetória musical em 1972, com a ajuda da estrela máxima do cenário musical brasileiro à época: naquele ano, Elis Regina gravou Mucuripe, canção escrita por Fagner e Belchior. Mas foi apenas mais tarde, em 1975, que se tornou comentado como compositor, com as gravações, também de Elis, de Como Nossos Pais e Velha Roupa Colorida para o espetáculo Falso Brilhante.
Depois de lançar alguns trabalhos de repercussão, Belchior lançou o LP que tornou sua voz conhecida no Brasil – era Alucinação (1976). Completamente autoral, é considerado uma obra definitiva da música brasileira, trazendo, além das versões do compositor para Como Nossos Pais e Velha Roupa Colorida, os sucessos Apenas um Rapaz Latino-AmericanoÀ Palo Seco e Fotografia 3x4.
Ao longo da década de 1970, lançou uma série de outros discos, como Coração Selvagem (1977), Todos os Sentidos (1978) e Era uma Vez um Homem e Seu Tempo (1979), com hits como Medo de AviãoComentário a Respeito de John e Paralelas. Conforme a década de 1980 avançava, Belchior perdia espaço no cenário musical. Depois de álbuns menos apreciados pela crítica, deu lugar a uma nova geração. Suas apresentações, apesar do público fiel, foram se tornando mais esparsas, até que seu "sumiço" se consolidou. Era visto raras vezes, na maior parte delas no Rio Grande do Sul e no Uruguai.

Causa da Morte

Exames médicos iniciais revelaram que o cantor e compositor Belchior morreu devido a uma dissecção na aorta, quando há uma divisão na parede da artéria (composta por três camadas), levando o sangue a seguir um falso trajeto entre as camadas. De acordo com a delegada plantonista da Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA), Raquel Schneider, a morte do artista cearense aconteceu durante o sono, enquanto ele ouvia música clássica. Ainda assim, a delegada ressaltou, em entrevista à Agência Brasil, que apenas o laudo do Instituto Médico Legal (IML) poderá confirmar a hipótese. O corpo de Belchior foi encontrado por sua companheira, Edna Prometeu, na sala de estar da casa em que vivia no município de Santa Cruz do Sul (RS), na manhã deste domingo (30). Conforme Raquel, a companheira de Belchior informou que o músico estava escutando música clássica em uma sala nos fundos da casa, quando se queixou de sentir frio e de dor nas costas. Belchior teria pedido um cobertor e disse para Edna que permaneceria no sofá da sala. Há relatos de que, nos casos de dissecção da aorta, em geral as pessoas relatam uma dor aguda iniciada no tórax e que se irradia em  direção à coluna, de cima para baixo. Apesar de não haver informações sobre a saúde do cantor, a hipertensão arterial é o fator mais comum nos casos de dissecção. O corpo do cantor foi transferido para Cachoeira do Sul (a cerca de 200 km de Porto Alegre), de onde deve seguir para a cidade de Venâncio Aires. Só então será encaminhado para Porto Alegre, de onde partirá para Fortaleza. A previsão é que o corpo chegue no aeroporto Pinto Martins, na capital cearense, na manhã desta segunda-feira (1º). De lá, segue para a cidade natal do artista, onde será velado por cerca de duas horas, no Teatro São João. Depois disso, haverá uma outra cerimônia, que deverá ocorrer na terça-feira (2), no Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, na Praia de Iracema, em Fortaleza, onde o artista deverá ser enterrado.
fonte:MSN/Estadão/BN
Compartilhar:
←  Anterior Proxima  → Inicio

0 comentários:

Postar um comentário

Pesquise

Mais vistas

Marcadores

Seguidores

Total de visualizações

Tecnologia do Blogger.