sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

Operação Timóteo: Pr. Silas Malafaia é alvo de operação da PF e se defende


O pastor Silas Malafaia durante a Comissão Especial da Câmara sobre o Estatuto da Família, em Brasília
A operação desta sexta mira um esquema de corrupção que fraudava os valores de royalties de mineração
Rodrigues Pozzebom/reprodução
A Polícia Federal (PF) deflagrou nesta sexta-feira a Operação Timóteo, que tenta desmontar um esquema de corrupção que fraudava os valores de royalties de mineração devidos por mineradoras a municípios, com a Vale entre as empresas prejudicadas. Há ações em onze Estados e no Distrito federal. O pastor evangélico Silas Malafaia também teria envolvimento no esquema, que era utilizado para lavagem de dinheiro. Ele foi levado coercitivamente para depor, no Rio de Janeiro.
De acordo com o Estado de S. Paulo, Malafaia é suspeito de ajudar os criminosos que operavam o esquema a lavar dinheiro. O pastor é acusado de ter recebido dinheiro em seu escritório e posteriormente ter “emprestado” contas correntes de uma instituição religiosa sob sua influência com a intenção de ocultar a origem ilícita dos valores.
O esquema envolvia a participação de um diretor do Departamento Nacional de Produção Mineral que abordava prefeitos para oferecer participação nos lucros da corrupção. O departamento é subordinado ao Ministério de Minas e Energia.
O nome da operação é referência a uma passagem do evangelho de Timóteo, parte da Bíblia. Segundo o livro, “aqueles que querem ficar ricos caem em tentação, em armadilhas e em muitos desejos descontrolados e nocivos, que levam os homens a mergulharem na ruína e na destruição”.

Defesa

Pr. Silas se defendeu através de sua conta no facebook, em uma postagem e um vídeo publicado abaixo:
Nesta manhã, fui acordado por um telefonema de que a Polícia Federal esteve na minha casa. Estou em São Paulo e vou me apresentar.
Recebi uma oferta de cem mil reais, de um membro da igreja do meu amigo, pastor Michael Abud. Não sei e não conheço o que ele faz. Tanto é que o cheque foi depositado em conta. Por causa disso sou ladrão? Sou corrupto? Recebo ofertas de inúmeras pessoas e declaro no Imposto de Renda tudo o que recebo.
Quer dizer que, se alguém for bandido e me der uma oferta, sem eu saber a origem, sou bandido? É a tentativa para me desmoralizar junto à opinião pública. Não poderia ter sido convidado para depor? Vergonhoso!
Recebi um cheque de um advogado, como recebo inúmeras ofertas e as declaro no Imposto de Renda. Sou responsável pela bandidagem de outros? Estou indignado!
Será que a Justiça não tem bom senso para saber que eu recebi um cheque de uma pessoa? Isso me torna participante de crime? Estou indignado!






fonte:Veja c/agência Reuters e facebook)

Compartilhar:
←  Anterior Proxima  → Inicio

0 comentários:

Postar um comentário

Pesquise

Mais vistas

Marcadores

Seguidores

Total de visualizações

Tecnologia do Blogger.