sábado, 8 de abril de 2017

TJ-BA quer desativar comarcas na região de Irecê, mas pode comprar novos móveis por até 7,5 milhões


                    Sete Comarcas estão na mira do TJ-BA com vistas a desativação - O pomposo prédio do TJ-BA no CAB - Salvador foto:reprodução


O Tribunal de Justiça da Bahia voltou a discutir a desativação de cerca de 70 Comarcas no interior do Estado. De acordo com o Sindicato dos Servidores do Poder Judiciário – Sinpojud,  a proposta é tratada na “surdina” entre a direção do tribunal e magistrados. “Não houve nenhuma publicação. O que houve foram reuniões com alguns magistrados e, após essas reuniões, é que sairiam esses comentários. A proposta é desativar cerca de 70 comarcas, juntando com as que já foram agregadas, na gestão anterior”, explica Jorge Cardoso, diretor sindical.

Segundo o mesmo diretor, já há uma orientação para que a Comissão de Reforma faça estudos para viabilizar as desativações por questões de “economicidade”.

O TJ-BA, hoje é presidido pela desembargadora Maria do Socorro Barreto Santiago que estará a frente do Poder Judiciário até 2018.

Região de Irecê

Se concretizando  a intenção do Tribunal, na região de Irecê, seriam extintas sete  Comarcas:  Canarana, Central, Gentio do Ouro, João Dourado, Lapão, Presidente Dutra e São Gabriel.

A comarca  de  Central, por exemplo teve sua inauguração em dezembro/15, pelo então Presidente do Tribunal, o desembargador Eserval Rocha, saindo dos cofres públicos mais de R$ 1 milhão para a conclusão da obra.

OAB

A OAB – Ordem de Advogados da Bahia, subseção Irecê já se manifestou através de seus dirigentes no sentido de evitar que essa medida do tribunal se concretize trazendo mais dificuldades de acesso à justiça pela sociedade regional.

A instituição deverá se unir as outras entidades, podendo até encabeçar uma campanha contra desativação das unidades judiciais na nossa região.

UNIPPI

A Unippi - União das Prefeituras do Platô de Irecê, presidida pelo prefeito de Central Uilson Monteiro(PSD) também já se mobilizaram no sentido de pressionar a classe Política e Judiciária na capital do Estado. 

Enquanto isso....

Segundo o site Bahia notícias de Salvador, em matéria assinada pela jornalista Claudia Cardoso, o Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA) há quase dois anos fez um registro de preços para aquisição de novos móveis para a Corte, mas deu sinais que quer renovar o mobiliário novamente.

Na última quinta(6) o tribunal publicou uma nova ata de registro de preços para futura e eventual aquisição. A aquisição total dos bens pode chegar a R$ 7,5 milhões. De acordo com a publicação, poderão ser adquiridos:

6,1 mil cadeiras giratórias, azul royal, no valor de R$ 1,9 milhão de reais;

Outro lote, com o mesmo modelo de cadeiras, prevê a compra de 2150 assentos no valor de R$ 860 mil;

Também há registros de dois lotes, com modelos variados de mesas:

O primeiro lote, prevê a aquisição de 5,1 mil mesas, no valor de R$ 1,5 milhão;

O segundo, 500 mesas por R$ 780 mil;

Sofás por R$ 838 mil. Os sofás serão de um lugar ou dois/três lugares;

Além destes mobiliários, ainda foram registrados o preço para futura compra de armários e painéis.  A ata de registro de preços ainda demonstra o interesse em comprar 1,5 mil gaveteiros por R$ 469 mil;

 E 1,7 mil longarinas de dois e três lugares por R$ 1,5 milhão;


Texto:Blog fique informado
 Fonte:BN
Compartilhar:
←  Anterior Proxima  → Inicio

0 comentários:

Postar um comentário

Pesquise

Mais vistas

Marcadores

Seguidores

Total de visualizações

Tecnologia do Blogger.