quinta-feira, 3 de maio de 2018

Feira: Estudantes de Odontologia da Uefs protestam contra falta de estrutura do curso


Os estudantes do curso de Odontologia da Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs) fizeram uma manifestação na manhã desta quinta-feira (3), em frente à instituição.
O protesto foi motivado pela falta de materiais odontológicos e o fechamento da clínica odontológica do curso, que atende à comunidade carente do município.
De acordo com o coordenador do diretório acadêmico do curso, Eder Freire, o fechamento da clínica prejudica o ensino e a prática dos estudantes.

“Os nossos equipamentos estão comprometidos. Tivemos que parar a clínica porque estamos sem autoclave e não temos condição de continuar sem esse equipamento para atender com o material estéril, devidamente biosseguro. Além disso, a universidade vem faltando com relação à nossa política de permanência, que é ter no mínimo os materiais de consumo para que a gente consiga atender e os estudantes estão tendo que arcar com esses materiais. Faltando com o compromisso de uma universidade pública”, protestou o estudante.

Ele afirma que faltam desde materiais básicos, como luvas, até instrumentos para atendimento. A lista dos materiais chega a custar de 2 a 3 mil reais. Além do risco de contaminação, Eder Freire falou sobre do risco de erros graves durante um atendimento por falta de avaliações técnicas dos equipamentos.
“Um paciente que chega aqui com uma cárie, muitas vezes, pode sair sem o dente, porque o instrumento está com uma alta rotação que não sai água e isso é algo que pode comprometer o paciente”, explicou.

Déficit orçamentário

O reitor da Uefs, Evandro Nascimento, informou em entrevista ao Acorda Cidade, que está ciente dos problemas enfrentados pelos alunos, e que a situação em que as universidades estaduais têm sido colocadas nesses últimos anos tem levado a uma precarização das condições da estrutura, de equipamentos nos laboratórios e, no caso do curso de Odontologia, das clínicas onde os alunos realizam as práticas.
“Tivemos uma reunião com uma comissão de estudantes e eles apresentaram os problemas. Nós esclarecemos que já tem algumas ações sendo encaminhadas, e algumas que nós não sabíamos, vamos pautar para dar os encaminhamentos. Há uma série de questões, por exemplo, uma autoclave, que é o equipamento que esteriliza os materiais odontológicos. Iniciamos o conserto e vai ser feito um teste hoje. Tendo êxito, ela volta a funcionar. E tem também a compra de materiais odontológicos, que estamos com uma licitação nos próximos dias, e o material chegará”, afirmou o reitor.

Evandro Nascimento salientou ainda que é importante que haja uma conscientização do governo do estado, para que faça o repasse adequado às universidades e essa precarização não se estenda aos demais cursos. “Temos um déficit de R$ 1 milhão a cada mês e isso afeta a dinâmica e o bom funcionamento da universidade”, disse.




texto: Site acorda cidade
fotos: Ed Santos do Acorda Cidade/reprodução
Compartilhar:
←  Anterior Proxima  → Inicio

0 comentários:

Postar um comentário

Pesquise

Mais vistas

Marcadores

Seguidores

Total de visualizações

Tecnologia do Blogger.