quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

Carnaval: Prefeitura de Salvador amplia festa e SSP-BA considera “falta de respeito” à população

Diante da informação de que a prefeitura e a Skol, patrocinadora oficial do Carnaval de Salvador, estão preparando uma festa no dia 21 de fevereiro, um dia antes do início oficial da folia, já considerando o Fuzuê e Furdunço, sem avisar ao Governo da Bahia, a Bahiatursa e a Secretaria de Segurança Pública se manifestaram.
A Secretaria da Segurança Pública  (SSP-BA) considerou “a ampliação repentina de festas relacionadas ao Carnaval, sem a devida comunicação prévia às instituições que prestam serviços essenciais, uma falta de respeito com a população”. Confira abaixo a nota oficial completa:
                                      Mauricio Barbosa -titular da SSP/BA  - foto:reprodução

“A Secretaria da Segurança Pública da Bahia considera a ampliação repentina de festas relacionadas ao Carnaval, sem a devida comunicação prévia às instituições que prestam serviços essenciais, uma falta de respeito com a população. Entende que não se deve colocar o lazer em detrimento da segurança dos baianos e turistas e que qualquer mudança no calendário da folia deve ser feita com bom senso e todos os atores envolvidos consultados. Ressalta ainda que, embora exista um grupo de trabalho, integrando instituições estaduais e municipais que planejam e discutem as ações, somente anteontem (6 de fevereiro) um ofício foi recebido pelo Comando-Geral da Polícia Militar, informando o acréscimo de mais um dia à folia.
No intuito de prestar o melhor serviço aos foliões e dar as condições essenciais de trabalho para profissionais da segurança pública que atuam na festa, a SSP desaprova a instalação do grande palco, no Farol da Barra, ao lado do tradicional Posto Policial Integrado (PPI). A pasta entende que a estrutura - que também não foi montada nos moldes do negociado no grupo de trabalho - irá atrapalhar o atendimento à população, bem como o trabalho policial.
A SSP ressalta que as forças policiais estaduais não são coadjuvantes durante o Carnaval e que merecem ser tratadas com respeito. Aumentar indiscriminadamente os festejos também gera um excesso de carga de trabalho para os efetivos, além de impactar na qualidade do serviço oferecido.
Por fim, é importante lembrar que, o Governo do Estado tem investido, somente na parte de segurança da festa, por ano, uma média de R$ 40  milhões de reais, com recursos unicamente oriundos do dinheiro público”.

fonte:Bocão News/reprodução
Compartilhar:
←  Anterior Proxima  → Inicio

0 comentários:

Postar um comentário

Pesquise

Mais vistas

Marcadores

Seguidores

Total de visualizações

Tecnologia do Blogger.