quarta-feira, 10 de junho de 2015

UNEB DIVULGA NOTA À COMUNIDADE




 
A Reitoria da UNEB, a Equipe Central de Gestão Universitária (ECGU) e os Diretores de Departamento, diante das circunstâncias que envolvem as Universidades Públicas Estaduais em um movimento grevista docente, se pronunciam em defesa da Universidade Pública. Reiteramos os valores e diretrizes que têm norteado as ações da Gestão Universitária pelos princípios do republicanismo democrático, cujo valor destaca-se pelo diálogo, transparência, participação e, principalmente, pelo respeito à diversidade de posições e concepções que diferenciam o cotidiano de uma Universidade em relação às demais instituições públicas.

Conscientes da nobre responsabilidade pública, desde o início, a presente gestão tem se empenhado diariamente em garantir, junto ao Governo do Estado, condições satisfatórias para o pleno e qualificado funcionamento das ações universitárias. Não é mero acaso a coincidência entre a agenda dos movimentos sociais e as ações já efetivadas pela atual gestão. Salientamos como exemplo:

• O remanejamento interno de recursos orçamentários próprios para a efetivação dos direitos de promoção e progressão na carreira docente e de mudança de regime de trabalho;
• As documentadas solicitações junto ao Governo do Estado – anterior e atual, em torno da Autonomia Universitária representada pela reivindicação de revogação da Lei Estadual nº7176/97;
• A luta pela ampliação do orçamento das Universidades Estaduais, e pela distribuição mais equânime e racional dos percentuais de orçamento entre as quatro instituições;
• O esforço da atual gestão da UNEB que, desde 2014, vem lutando para que o governo desvincule a relação entre vaga docente e classe profissional, conferindo-nos autonomia decisória sobre esta questão.
Ainda que a Lei nº7176/97 não tenha sido revogada, a Reitoria vem exercitando sua autonomia quando, por exemplo, junto com os Conselhos Superiores aprova a representação docente nestas instâncias e quando, de modo inédito, garante uma ampla participação decisória da Comunidade Universitária na composição do Plano de Desenvolvimento Institucional, um dos seus principais instrumentos de planejamento acadêmico e orçamentário.
Nesse sentido, a nossa posição como gestores está explícita de forma transparente, pública e inconfundível. No âmbito das funções administrativas ou nos quadros permanentes da profissão de professores, somos sempre defensores da Universidade Pública e comprometidos com o crescimento da qualidade do serviço público de formação, produção e extensão de conhecimento que a universidade oferece à sociedade.
A clara consciência do que representa a UNEB para o desenvolvimento econômico, cultural, social e político da Bahia se traduz no desenvolvimento de uma grande ação integrada que se expressa nos projetos:

• político de democratização das instâncias internas;
• social de proximidade com os setores socialmente mais vulneráveis;
• administrativo de eficiência e racionalização das atividades meio;
• acadêmico de melhoria permanente dos cursos de graduação, de ampliação e qualificação dos cursos de pós-graduação, de reformulação das concepções e ações de extensão e de institucionalização de práticas inclusivas de acesso, permanência e sucesso para os estudantes, econômica e socialmente, mais necessitados.

De um modo geral, são esses os parâmetros que norteiam o respeito que sempre tivemos e teremos em relação aos movimentos, ações ou proposições que, democrática e representativamente, venham a contribuir com o aperfeiçoamento da vida universitária. Com a greve atual, não tem sido e não será diferente. Desde a sua decretação, imediatamente, recebemos as lideranças, nos predispusemos a garantir o diálogo entre o Comando de Greve e a Administração Central e Setorial da UNEB mediado por uma Comissão instituída, exclusivamente, para essa finalidade, e externamos a nossa compreensão sobre as deliberações da assembleia e da pauta de reivindicações.

Continuamos abertos ao diálogo na perspectiva de garantir que as diferenças de concepção e de encaminhamentos não ultrapassem os limites da convivência pacífica, da civilidade e do respeito, mas que façam parte do exercício democrático que contribui para o aperfeiçoamento da discussão sobre a Universidade Pública que defendemos.

Assinam esta nota a Equipe Central e Setorial de Gestão Universitária: Reitoria, Pró-reitorias, Secretarias e Diretorias de Departamento.

Fonte:Site da instituição


Compartilhar:
←  Anterior Proxima  → Inicio

0 comentários:

Postar um comentário

Pesquise

Mais vistas

Marcadores

Seguidores

Total de visualizações

Tecnologia do Blogger.