sexta-feira, 17 de julho de 2015

Após denúncia: Cunha acusa Janot e diz agora que é oposição ao Governo

O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB) rompeu formalmente suas relações com o governo federal nesta sexta-feira (17). Cunha convocou a imprensa e fez  pronunciamento, argumentou que a citação de seu nome durante delação da Operação da Lava Jato, da Polícia Federal, foi “orquestrada”. "Estou certo que é uma orquestração e tem a participação do governo. [...] Eu, formalmente, estou rompido com o governo. Politicamente estou rompido", disse Cunha. 

O presidente do Congresso acusou, ainda, o procurador-geral da República Rodrigo Janot de agir para ser reconduzido ao cargo e se disse vítima de uma “devassa fiscal”. “O tipo de devassa fiscal de cinco anos que estão fazendo não é normal, é um constrangimento a um chefe de governo, não é possível o governo usar a máquina contra alguém que eventualmente se posicione contra ele”, criticou.

Em seu Twitter ele disse:
 

Nada deixará de ser pautado ou impedido. Teremos a seriedade que o cargo ocupa. Porém, o presidente da Câmara é oposição ao governo.
  
Essa lama, em que está envolvida a corrupção da Petrobras, cujos tesoureiros do PT estão presos, eu não vou aceitar estar junto dela.
Compartilhar:
←  Anterior Proxima  → Inicio

0 comentários:

Postar um comentário

Pesquise

Mais vistas

Marcadores

Seguidores

Total de visualizações

Tecnologia do Blogger.