sábado, 29 de julho de 2017

Brasil: Motoristas aplaudem Exército nas ruas do Rio

Motoristas que passam pela Ponte Rio-Niterói e pelo Arco Metropolitano estão aprovando o policiamento feito pela Força Nacional nesta sexta-feira. O EXTRA flagrou os condutores aplaudindo, fazendo sinal de positivo e buzinando para militares do Exército baseados no Arco Metropolitano e na Ponte Rio-Niterói.
Na Ponte Rio-Niterói, uma equipe atua junto com a Polícia Rodoviária Federal após o pedágio, no sentido Niterói. Por enquanto, os soldados e agentes da PRF não estão parando os motoristas que passam pelo local.
Já no Arco Metropolitano, cerca de cem homens do Regimento Sampaio patrulham a via da altura de Duque de Caxias até Itaguaí com cerca de 15 caminhões e três blindados. Blitzes estão sendo realizadas na via e revistas estão sendo feitas em veículos.

Thiago da Silva Correia, de 35 anos, foi parado por soldados na Linha Vermelha e aprova a presença de miliatres nas ruas do Rio
Thiago da Silva Correia, de 35 anos, foi parado por soldados na Linha Vermelha e aprova a presença de miliatres nas ruas do Rio Foto: EXTRA / Flávia Junqueira

Na Linha Vermelha, sentido Centro do Rio, na altura de Duque de Caxias, uma equipe com cerca de 20 homens do 26º Batalhão de Infantaria Paraquedista faz uma blitz desde o início da tarde. Eles param carros e motos, pedem documentos e revistam o veículo. Quem foi parado aprovou:
- Estou achando bem bacana o movimento do Exército na rua para inibir e acabar um pouco com essa malandragem que está difícil aqui no Rio de Janeiro, com roubos de carga em tudo que é canto, roubo de carro. Acho que vai melhorar para a gente e não me incomodei nem um pouco em ser parado por eles. Dá mais sensação de segurança - disse Thiago da Silva Correia, de 35 anos.

Patrulhamento com blindados está sendo feito em vias do Rio
Patrulhamento com blindados está sendo feito em vias do Rio Foto: Cléber Júnior / Agência O Globo

- Melhor coisa que fizeram. Nós amamos os militares nas ruas. Estamos nos sentindo mais seguros, porque estamos vivendo em tempos de guerra - disse uma passageira de um dos carros parados na blitz da Linha Vermelha.
O motociclista Eduardo Miranda, de 36 anos, afirmou que não se importava em ser parado pelos militares:
- Os militares têm que estar nas ruas do Rio, e isso já aumentou a nossa sensação de segurança.

O motociclista Eduardo Miranda, de 36 anos, foi parado em blitz na Linha Vermelha: sensação de segurança aumentou
O motociclista Eduardo Miranda, de 36 anos, foi parado em blitz na Linha Vermelha: sensação de segurança aumentou Foto: Paulo Nicolella / O Globo

O técnico mecânico Patrick Ferreira dos Santos, de 34 anos, também afirmou que se sentia mais seguro:
— Acho bom (a presença dos militares) porque há muita violência nas ruas. Ser parado na blitz é melhor do que passar por um assalto ou um arrastão.
No início da tarde desta sexta, comboios do Exército fazem patrulhamentos em ruas e rodovias do Estado. O objetivo principal é coibir o roubo de cargas. Há homens do Exército em Copacabana, na Zona Sul do Rio; na Linha Vermelha; na Rodovia Washington Luiz; na saída da Ponte Rio-Niterói; na Via Dutra; em São Gonçalo; na Avenida Brasil; Duque de Caxias; Nova Iguaçu; Engenheiro Pedreira e Seropédica.
fonte:Site Extraonline/reprodução
Compartilhar:
←  Anterior Proxima  → Inicio

0 comentários:

Postar um comentário

Pesquise

Mais vistas

Marcadores

Seguidores

Total de visualizações

Tecnologia do Blogger.